Sesc Pompeia recebe show de lançamento do álbum ToCantE, de Lulinha Alencar e Mestrinho
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Em comum o sotaque regional, o autodidatismo, o instrumento e o convívio com Dominguinhos,Lulinha Alencar e Mestrinho homenageiam o mestre da sanfona em show inédito do disco ‘ToCantE’, no Sesc Pompeia, no dia 6 de maio, às 21h.

O disco traz um repertório de músicas autorais dedicadas a Dominguinhos, falecido em 2013, além de composições do próprio homenageado, em que reverencia outros mestres como o maestro Chiquinho do Acordeom, Jackson do Pandeiro e Pixinguinha. O acordeonista francês Richard Galliano também participa do disco como convidado especial.

ToCantE busca traduzir em músicas três gerações de sanfoneiros. Primeiro a música de Luiz Gonzaga e sua maneira de tocar sanfona que formou Dominguinhos, depois a música de Gonzaga e Dominguinhos que forma, até hoje, arcodeonistas espalhados não só pelo Brasil, mas também pelo mundo.

Por fim, o álbum é um tributo ao instrumento compartilhado pelos músicos que prestam a homenagem e pelo mestre que a recebe, como explica Lulinha: “Esse nosso trabalho não é apenas uma homenagem a um dos maiores sanfoneiros do mundo, mas é também um desejo, quase uma obrigação de mantermos viva a arte de tocar sanfona”.

Mestrinho emociona-se ao falar de ToCantE: “É uma oportunidade de homenagear o mestre Dominguinhos e ao mesmo tempo agradecê-lo por ter feito tanto pela cultura do nosso país, com tantas canções lindas e seu jeito particular de tocar sanfona”.

Lulinha Alencar

Nascido em Rafael Godeiro no sertão do Rio Grande do Norte, Lulinha teve seu primeiro contato com a música em casa, tocando triângulo e zabumba com seu pai, o sanfoneiro Zé de Cezário. Autodidata, no final de 1999, radicou-se em São Paulo, onde mostraria seu trabalho como pianista sem imaginar que ganharia oportunidade e espaço também como sanfoneiro.

Transitando entre áreas diversas, mas afins, seu som revisita suas origens sertanejas e completa-se com a urbanidade em arranjos pautados no diálogo entre modernidade e tradições, sempre sob a influência de mestres.

Ao lado de artistas como Mônica Salmaso, Benjamim Taubkin e Teco Cardoso, integrou a Orquestra Popular de Câmara e hoje integra o grupo de choro Moderna Tradição.

Além de Dominguinhos, no Brasil, dividiu o palco com outros grandes nomes da sanfona mundial entre eles, Richard Galliano, Regis Gizavo e Martin Lubenov.

Apresenta-se com frequência em todo o Brasil e no exterior, em países como Inglaterra, Espanha, Bélgica, Holanda, França, Alemanha, Itália, Suíça, Áustria, Marrocos, China, entre outros. Em 2013, lançou um disco solo chamado “Cem Gonzaga”, em homenagem ao centenário de Luiz Gonzaga, interpretando composições instrumentais que passeiam pelo lado musical menos conhecido do grande artista brasileiro.

 

Mestrinho

Nascido em 1988, em Itabaiana, Sergipe, neto do tocador de oito baixos e filho de sanfoneiro, Mestrinho aos 6 anos já tocava sanfona e aos 12 anos começava a se apresentar em sua região.

Aos 17 anos, Mestrinho e sua irmã se mudaram de Aracaju para São Paulo e criaram o Trio Juriti. Juntos participaram de festivais e se destacaram pela composição da música autoral “Mais um dia sem te ver”. Ainda nesse trio gravaram dois álbuns chamados “Forró irresistível” e “Cara a Cara”, que contaram com a participação dos emboladores Caju e Castanha e com a produção do compositor João Silva, um dos maiores parceiros de Luiz Gonzaga.

Mestrinho já dividiu o palco com vários artistas da nossa música como: Hermeto Pascoal, Rosa Passos, Dominguinhos, Antônio Barros e Cecéu, Zélia Duncan, Geraldo Azevedo, Toninho Ferragutti, Renato Borghetti, entre outros. Trabalhou com Elba Ramalho por três anos, incluindo sua participação no CD “Vambora lá dançar”, no qual se apresentou em turnês nacionais e internacionais (Alemanha); com Gilberto Gil fez turnês em festivais de jazz na Europa, Israel e Uruguai.

Com Dominguinhos fez diversos shows pelo Brasil, inclusive participando de sua última

apresentação em Exu (PE), cidade natal de Luiz Gonzaga. Em setembro de 2014, lançou seu primeiro disco solo intitulado “Opinião”.

 

REPERTÓRIO

  1. Xote Pro Miudinho (Dominguinhos)
  2. Homenagem A Pixinguinha (Dominguinhos)
  3. Noites Sergipanas (Dominguinhos)
  4. O Meu Último São João (Lulinha Alencar)
  5. Só Deus Sabe (Mestrinho)
  6. Ilusão Nada Mais (Dominguinhos)
  7. Homenagem A Jackson Do Pandeiro (Dominguinhos)
  8. Tocante (Lulinha Alencar)
  9. Cutucufole (Lulinha Alencar)
  10. Choro Sentido (Mestrinho)
  11. Um Abraço No Romeu (Dominguinhos)
  12. Ciao São Paulo Richard Galliano (Part. Richard Galliano)

 

Ficha Técnica de ToCantE

Áudio (Adonias Jr. / Arsis)

Fotografia (José De Holanda)

Projeto Gráfico (Lulinha Alencar)

Foto Dominguinhos (Ding Musa)

Gravação/Paris (Remi Bourcereau)

Participação Especial (Richard Galliano)

Distribuição (Núcleo Contemporâneo)

 

Sobre o Projeto Plataforma

Para lançar novos trabalhos de cantores e compositores, o projeto se estabelece como uma verdadeira plataforma para expor essas obras. O Plataforma confere um caráter original às apresentações e recebe, no Sesc Pompeia, artistas de diversos estilos e gerações.

Há mais de dez anos, o Plataforma apresenta lançamentos de CDs, DVDs, vinis e shows inéditos. Entre os artistas que passaram por aqui, estão Arnaldo Antunes, BNegão, Aláfia, Guilherme Arantes, Bixiga 70, Alceu Valença, Marcelo Jeneci, Fundo de Quintal, Felipe e Pepeu Gomes, Móveis Coloniais de Acaju, Nana Caymmi, Lenine, Nação Zumbi, Mundo Livre S/A e Jards Macalé.

 

Serviço:
ToCantE – com Lulinha Alencar e Mestrinho

Dia 6 de maio, sábado – 21h

Teatro

Ingressos: R$6 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$10 (credenciado*/usuário inscrito no Sesc e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$20 (inteira).

Venda online a partir de 25 de abril, terça-feira, às 17h30.
Venda presencial nas unidades do Sesc SP a partir de 26 de abril, quarta-feira, às 17h30.
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos.

Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93.
Não temos estacionamento. Para informações sobre outras programações, acesse o portalsescsp.org.br/pompeia

 

Claudê Lopes
Claudê Lopes
Baiano de Itiúba, radicado em São Paulo há mais de 30 anos. Repórter, Web Designer, Produtor e Editor de conteúdo, Consultor Musical, Roteirista, Redator e Diretor de programa de Televisão.
%d blogueiros gostam disto: