Categorias
Geral Pets

Ana Bittar doa quadros para ação solidária Criadores do Bem

em ação solidária apoia e doa quadros para Leilão destinado aos funcionários e criadores de pets que estão passando por diculdades na epidemia .
A quarentena do Covid 19 acabou com o glamour das competições dos criadores pets, e os handlers ficaram praticamente desempregados.
Preocupados com essa situação, um grupo de criadores brasileiros organizaram uma ação chamada “Criadores do Bem” que irá promover dois leilões com rifas que irão ajudar os parceiros handlers que estão precisando de muito apoio neste momento de incertezas e dificuldades.
Todo dinheiro arrecadado será transferido para a CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia) e a mesma destinará para os profissionais que necessitam de auxílio.
O padrinho e leiloeiro oficial será o querido Julinho Casares, apresentador do Programa “Enquanto meu Dono Não Vem” da Record. Melhor escolha não há, Julinho é defensor da causa animal e amante dos Pets.

Os itens para os leilões variam bastante: jantar no Restaurante Libertango em Campos do Jordão, dois quadros da renomada artista e jornalista Ana Bittar, joias, vinhos, bolsas entre outros.
Muito prazeroso ver as meninas do Criadores do Bem engajadas em uma campanha onde o amor, amizade e solidariedade são os elementos principais para uma excelente causa.

Participem comprando as rifas e fiquem atentos aos dias dos leilões. Imperdível.
Acessem o link e saibam mais.
https://criadoresdobem2020.wixsite.com/criadoresdobem

#ClickFato #AnaBittar #CriadoresDoBem #Pets #ClaudeLopes

Categorias
Destaque Geral Pets

Campanha de doação de ração para cães e gatos passa a ser feita em drive-thru no ABC Paulista

A campanha de troca de garrafas pet por ração de cães e gatos começou a ser feita em Santo André, no ABC Paulista, nesta quarta-feira (10). A diferença é que agora, por conta das medidas restritivas de isolamento social provocado pela pandemia de coronavírus, a troca será feita no modo drive-thru, sem que o morador precise sair do carro.
O programa, batizado de Moeda Pet, já existia, mas agora passa a ser realizado no estacionamento do Paço Municipal de Santo André, na Praça IV Centenário, no Centro, das 10h às 15h. Segundo a Secretaria de Meio Ambiente, a iniciativa tem o objetivo de fazer com que as trocas das garrafas pelas rações seja feita da maneira mais rápida possível.
Para conseguir 1 kg de ração é preciso entregar 20 garrafas pet de dois litros ou 26 garrafas de um litro. Em caso da ração ser doada, ela será destinada para a União Andreense Protetora dos Animais (Uapa).
De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Fabio Picarelli, a mudança da campanha para o sistema drive-thru foi feito para garantir a segurança sanitária em tempos de pandemia.

Fonte: G1
Foto: Divulgação/Alex Cavanha

Categorias
Pets

Reserva natural troca ingressos por ajuda para os animais

Você já parou para pensar em como estão os animais nesses tempos de isolamento?

Os que estão em casa, estão abrigados por seus tutores, mas há uma série de outros que vivem em reservas e parques ecológicos que precisam de atenção nesse período, já que, embora não transmitam a doença, precisam continuar se alimentando e sendo cuidados.

E um desses locais é o Parque Della Vittoria, em Itapevi, São Paulo.

Fechado desde o anúncio da pandemia, o local é uma reserva natural que abriga inúmeras espécies, como búfalos, burros, cabras, bodes, carneiros, ovelhas, cavalos, coelhos, gansos, jumentos, patos, porcos, vacas, touros, galinhas, dentre outros.

E para ajudar a manter o local e os animais, o Clubinho de Ofertas fez uma parceria com o parque para ajudar durante o isolamento.

Ingressos para serem usados até o final de 2020

Os ingressos estão sendo vendidos pelo valor simbólico de R$15 cada e poderão ser utilizados em qualquer época do ano depois que acabar o período de reclusão.

Para comprar e ajudar, basta entrar no Clubinho de Ofertas e acessar a atração.

Vale lembrar que este valor está sendo oferecido apenas pelo Clubinho de Ofertas.

Acesse agora: www.clubinhodeofertas.com.br/sao-paulo/parque-della-vittoria-ajuda-aos-animais-covid-19-1280

#parquedellavittoria #clubinhodeofertas #animais

Categorias
Geral Pets

Vira-Latas são os cães favoritos dos paulistanos

Antigamente, era comum associar cães sem raça definida com animais de rua, tanto que a alcunha “vira-lata” foi criada. Mas hoje, tal ideia não é mais tão difundida, até por que esses peludinhos estão presentes em 41% dos lares brasileiros. Em relação à cidade de São Paulo, são mais de 61 mil cães SRD cadastrados na DogHero , maior empresa de serviços para pets da América Latina que, através do site e app, conecta quem tem animal de estimação a uma comunidade de passeadores, pet sitters e anfitriões escolhida a dedo. Segundo o PetCenso 2019, levantamento anual feito pela empresa que reúne dados sobre os principais nomes e raças de cachorros e gatos dos brasileiros, os vira-latas correspondem a mais de 29% dos cachorros cadastrados em São Paulo.

Em segundo lugar, vem a raça Shih Tzu (11,34%) e na sequência está o Yorkshire Terrier (6,31%), o que mostra o apreço dos paulistanos pelas raças de porte pequeno. No ranking deste ano, o Golden Retriever aparece apenas na 6ª posição. Além disso, o PetCenso revela que não há preconceitos contra raças consideradas “ferozes”. Raças como American pit bull terrier, Chow Chow e Rottweiler estão no Top 30 do levantamento.

Filhotes & Cães idosos
Dentre os mais de 200 mil cães cadastrados na cidade de São Paulo, cerca de 16,6% tem dois anos de idade. Em seguida, há cachorros de três anos (14,2%), quatro anos (9,4%) e de um ano (7,7%). Porém, os cuidados com o animal de estimação não se restringem apenas aos filhotes. Os peludinhos idosos – com idade acima de oito anos – também representam uma parcela significativa do PetCenso: mais de 22 mil animais cadastrados. Dentre as idades de 11 a 17 anos, os cães com treze anos são predominantes (5,7%).

Nomes Populares
Nomear o novo integrante da família pode não ser uma tarefa fácil. Alguns tutores buscam nomes diferentes ou com referência à cultura pop. Outros, observam o cão durante um tempo para criar o nome que mais combine com ele. Por fim, há até mesmo aqueles que gostam de dar nomes “de gente”. Mas independente do jeito usado, alguns nomes são mais comuns e não é raro encontrar cachorros xarás. Confira os nomes mais populares dos peludinhos de São Paulo:
Mel, Nina, Thor, Luna, Mag, Luke, Amora, Lola, Bob e Teo.

#ViraLatas #Pets #PetCenso2019 #DogHero

Categorias
Pets

Vira-Latas são os cães favoritos dos paulistanos

Antigamente, era comum associar cães sem raça definida com animais de rua, tanto que a alcunha “vira-lata” foi criada. Mas hoje, tal ideia não é mais tão difundida, até por que esses peludinhos estão presentes em 41% dos lares brasileiros. Em relação à cidade de São Paulo, são mais de 61 mil cães SRD cadastrados na DogHero , maior empresa de serviços para pets da América Latina que, através do site e app, conecta quem tem animal de estimação a uma comunidade de passeadores, pet sitters e anfitriões escolhida a dedo. Segundo o PetCenso2019, levantamento anual feito pela empresa que reúne dados sobre os principais nomes e raças de cachorros e gatos dos brasileiros, os vira-latas correspondem a mais de 29% dos cachorros cadastrados em São Paulo.

Em segundo lugar, vem a raça Shih Tzu (11,34%) e na sequência está o Yorkshire Terrier (6,31%), o que mostra o apreço dos paulistanos pelas raças de porte pequeno. No ranking deste ano, o Golden Retriever aparece apenas na 6ª posição. Além disso, o PetCenso revela que não há preconceitos contra raças consideradas “ferozes”. Raças como American pit bull terrier, Chow Chow e Rottweiler estão no Top 30 do levantamento.

Filhotes & Cães idosos

Dentre os mais de 200 mil cães cadastrados na cidade de São Paulo, cerca de 16,6% tem dois anos de idade. Em seguida, há cachorros de três anos (14,2%), quatro anos (9,4%) e de um ano (7,7%). Porém, os cuidados com o animal de estimação não se restringem apenas aos filhotes. Os peludinhos idosos – com idade acima de oito anos – também representam uma parcela significativa do PetCenso: mais de 22 mil animais cadastrados. Dentre as idades de 11 a 17 anos, os cães com treze anos são predominantes (5,7%).

Nomes Populares

Nomear o novo integrante da família pode não ser uma tarefa fácil. Alguns tutores buscam nomes diferentes ou com referência à cultura pop. Outros, observam o cão durante um tempo para criar o nome que mais combine com ele. Por fim, há até mesmo aqueles que gostam de dar nomes “de gente”. Mas independente do jeito usado, alguns nomes são mais comuns e não é raro encontrar cachorros xarás. Confira os nomes mais populares dos peludinhos de São Paulo:

• Mel;
• Nina;
• Thor;
• Luna;
• Mag;
• Luke;
• Amora;
• Lola;
• Bob;
• Teo.

#ClickFato #Pets #PetCenso

Categorias
Pets

Pet shops organizam bloquinhos de Carnaval para cães

No carnaval pet, destacam-se também as boas ações. Alguns bloquinhos vão receber doações de ração ou remédios, por exemplo, que serão destinados a organizações ou abrigos de proteção animal.

A folia dedicada aos animais de estimação podem ocorrer em espaços abertos ou fechados. Alguns pet shops organizam eventos nos próprios espaços ou em rua próxima. Praças e parques em que cães são bem-vindos podem receber essa festa também. Informe-se na sua cidade para ver se há algo desse tipo. Abaixo, o E+ selecionou alguns bloquinhos para os pets:

SÃO PAULO
Amigos Pet
Dia 23 de fevereiro, a partir das 10h, na Santa Cecília. O roteiro parte da Rua Major Sertório, seguindo pelas ruas Cesário Mota Junior, General Jardim, Doutor Vila Nova e retornado à via de início.

#ClickFato #CarnaPet

Categorias
Destaque Pets

Cachorra é adotada por time após invadir jogo de futebol

O Atlético San Luís tem um reforço para o Campeonato Mexicano 2020. Não se trata de nenhum jogador, mas de uma mascote especial. A cachorra Tunita invadiu o gramado de uma partida da equipe de futebol e, ao invés de ser retirada à força, como geralmente acontece para que o jogo seja recomeçado, foi adotada pelo clube.

Antes de adotar a vira-lata e transformá-la em mascote, o San Luís procurou nas redes sociais pelo verdadeiro dona da cachorra. Sem sucesso, e depois da vitória por 2 a 1 sobre o Cruz Azul, o clube então optou por ficar com a cachorra. Mais do que isso, hoje Tunita é um símbolo do clube e participa até de campanhas na internet.

 

Fonte: R7

Categorias
Pets

Morumbi Shopping promove evento de adoção de animais com o Instituto Luisa Mell

O MorumbiShopping, em parceria com o Instituto Luisa Mell, realizará mais um evento de adoção de cães e gatos, no próximo dia 1º de fevereiro (sábado), das 10h às 18h, no estacionamento externo do empreendimento ao lado do Atrium. Esta será a primeira edição deste ano e a iniciativa busca mudar a vida de cães e gatos que foram abandonados ou resgatados de situações de risco. Na ocasião aproximadamente 100 animais estarão disponíveis para adoção.

Para adotar é preciso ser aprovado em entrevista, ter 21 anos ou mais, levar comprovante de residência, CPF e RG, além de fotos do imóvel onde o animal irá morar, para que os responsáveis do Instituto avaliem a segurança contra possíveis fugas do animal. É importante ressaltar que a adoção é gratuita e que todos os cães e gatos participantes do evento estarão devidamente castrados e vacinados.

Durante o evento, também será possível adquirir produtos na lojinha do Instituto, que tem 100% da renda destinada à causa.

Para Rodrigo Peres, gerente de marketing da Multiplan, é muito gratificante esta parceria com o instituto Luisa Mell. “Saber que estamos estimulando a adoção consciente de cães e gatos vítimas de maus tratos e de abandono”. A ação no MorumbiShopping faz parte da iniciativa ‘Multiplique o Bem’, da rede Multiplan. Esta é a 18ª edição realizada nos empreendimentos do grupo, como Shopping Vila Olímpia, Shopping Anália Franco e ParkShoppingSãoCaetano, que juntos já somam quase 940 adoções.

Serviço
Evento de adoção de cães e gatos no MorumbiShopping:
Data: 1º de fevereiro, das 10h às 18h
Local: Estacionamento externo, ao lado do Atrium
Endereço: Av. Roque Petroni Jr., 1089 — São Paulo/SP
Como adotar: Passar em entrevista com os responsáveis da ONG, ter 21 anos ou mais, apresentar RG, CPF e comprovante de residência, fotos do imóvel em que o animal irá morar para segurança contra possíveis fugas do animal. Atendimento por ordem de chegada.
Mais informações em: www.morumbishopping.com.br
Instagram: @morumbishopping | #EuNoMbs

Categorias
Destaque Pets

Luca Moreira aborda questão de maus-tratos a animais em reportagem

Nessa segunda-feira (03/05), o jornalista niteroiense Luca Moreira, de 21 anos, publicou em seu blog mais uma de suas reportagens originais, dessa vez envolvendo o tema de maus-tratos a animais, não só domésticos mais como selvagens. A matéria faz parte de um novo projeto que o jornalista está bolando juntamente com sua assessoria, que envolve toda semana escrever uma reportagem sobre assuntos decorrentes do dia-a-dia e presenciados pelo jornalista. Confira a baixo:

Eles não têm culpa dos problemas dos seres humanos, porém estão se tornando cada vez mais os alvos de frustração de seus proprietários. Desde SRDs a cachorros de raça, eles sofrem nas mãos tanto de pessoas como de canis, que muitas vezes criam apenas com o interesse de exploração da raça e superfaturamento, sendo essa a questão dos assim chamados “criadores de fundo de quintais”.

Pesquisas relatam que só no Brasil, a quantidade de denúncias chegou a mais de 944 ocorrências só nos primeiros meses em 2018, incluindo abandono e maus tratos. A lei n9605/98, considera maus tratos qualquer tipo de espancamento ou agressão física, falta de higienização (muitas vezes em canis), prisão permanente por correntes, promover carência de água ou alimento, negligências a saúde animal, trabalho excessivo que vão além de sua força (como pode ocorrer em zonas rurais), ou até mesmo a retirada e captura de animais silvestres de sua habitação natural.

De acordo com Halina Medina, idealizadora do projeto “Tudo Sobre Cachorros”, um dos maiores grupos especializados no segmento pet brasileiro, o país é um dos que mais abandona cachorros no mundo, porém com o atual papel das ONGs de proteção aos animais, esse número tem conseguido ser reduzido aos poucos: “Infelizmente o Brasil é um dos países com o maior índice de cães abandonados, principalmente nas ruas. O papel das ONGs é importantíssimo para acolher e realocar os cães. O papel do Tudo Sobre Cachorros é ensinar as pessoas a cuidar dos cães, entendê-los e respeitá-los, isso também é uma maneira de evitarmos abandonos. Além de ensinarmos as pessoas a fazerem uma escolha consciente na hora de ter um cachorro, a gente ensina a criar um relacionamento saudável entre tutor e cão ”.

Problemas muito além dos domésticos:

Esses problemas não se restringem apenas a animais doméstico. Foi por essa situação que animais foram proibidos de serem utilizados em circos e apresentações, que antigamente eram treinados na base da dor e dos maus tratos, forçando-os a fugirem de seus padrões comportamentais e se adaptarem forçadamente a realização de cenas teatrais ensaiadas.

Uma das empresas de entretenimento a sofrer conflitos em relação a isso é a SeaWorld, que constantemente é acusada de maus-tratos a orcas, baleias e golfinhos retirados da natureza e que servem de atração principal para seus visitantes, sofrendo severos abusos de seus adestradores. Segundo o jornal britânico “The Guardian”, em 2015, o parque já enfrentava seu segundo processo por esse mesmo motivo.

A Justiça a favor dos animais:

O responsável pela apuração das denúncias é a Delegacia de Proteção Animal. Porém, caso o agressor seja menor de idade, cabe ao Conselho Tutelar tomar as providências, pois apesar da menor idade penal, não o isenta de responder pelo crime.

A agressão e maus tratos a animais, assim como o abandono, está previsto como crime pelo Ministério Público Federal, que penaliza o autor do ato com cerca de três meses de detenção, podendo se agravar a um sexto a mais, caso seja constatado o óbito do animal.

Categorias
Destaque Pets

“Os Mais Novos Influenciadores do Instagram” por Luca Moreira

Por Luca Moreira: Eles estão em todos os lugares, em eventos, feiras, e estampando marcas. Esses são os influenciadores digitais. Já foi o tempo que apenas as pessoas formavam opiniões na internet, quem tem ganhado os holofotes dos usuários na rede são os pets!

Os perfis vão desde 27 mil a 3 milhões de seguidores no mundo inteiro, com alguns inclusive com selos de verificação, benefício que as redes sociais dão somente a perfis notórios.

Um dos exemplos que temos é o de Renata Maria Teixeira, dona da shih-tzu Milka, que tem 73 mil fãs. A dona montou o perfil assim que a cachorra foi recebida na família. Influenciada pela prima que já tinha uma conta para o seu Golden Retriver, começou a acostumar a cadelinha a posar para fotos criativas, iniciando assim o conceito de “dog model”. O sucesso gerou o convite de diversas marcas a fim de realizar parcerias. De acordo com Renata, o amor dos fãs é reciproco: “Uma vez, uma moça me mandou um direct falando que o pai dela, um senhor de 90 anos, pedia à ela, todos os dia, para mostrar a Milka para ele. E ela me disse que isso o deixava mais alegre. Isso é gratificante para mim. “

Outro exemplo que temos é Marcia Medeiros, dona da dálmata Maria Flor, de dois anos. A história da cachorrinha começou com uma adoção através de uma publicação que Marcia viu no Instagram. A partir daí se inspirou a criar um perfil para mostrar o dia-a-dia com sua amiga canina. Com cerca de quatro mil seguidores é possível perceber a criatividade e amor que cada foto carrega. A dona não deixa de lado os possíveis estilos da raça, que vão de um simples lacinho na cabeça a um babadorzinho com seu nome: “´É gostoso e divertido ver os pets bem tratados, com poses e frases inusitadas. ”

O que dizem os profissionais:

Um dos benefícios desses perfis é que eles servem de canal para compartilhamento de dicas e informações. Porém, para muitos profissionais da saúde animal, como o veterinário Willian Tovar, alguns cuidados devem ser tomados com essas dicas: “Por serem donos, ou até criadores, começam a querer medicar ou instituir algum tipo de tratamento, atrapalhando o trabalho do veterinário, que quanto antes começar a trabalhar corretamente no tratamento, pode ser melhor para seu pet. Você levaria em um médico ou em um curioso o seu filho humano? ”

Para o médico veterinário Vladimir Fernandes da Silva, a questão de o proprietário ver o animal de estimação como filho é algo crítico, em que o relacionamento saudável entre o pet e o proprietário deve ser no máximo uma amizade. Em sua visão, ele também fala positivamente sobre a finalidade das redes sociais para os animais: “As redes sociais estão sendo usadas para trocar ideias sobre comportamento. Ou seja, como educar meu pet e manejo. Sobre medicações seria bom sempre ter um médico veterinário para orientações em geral, profilaxia e o melhor caminho. ”