COI vê Rio ‘despreparado’ e põe em risco realização dos Jogos, diz jornal
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

coi

Em público, as críticas têm sido amenas. Mas, nos bastidores, o Comitê Olímpico Internacional tem mostrado preocupação quanto à realização dos Jogos do Rio, em 2016. De acordo com o jornal “Estado de São Paulo”, que teve acesso a um relatório secreto da entidade, problemas no financiamento, atrasos na construção de estádios e nas obras de infraestrutura e o déficit crônico de quartos de hotéis põem em risco o sucesso do evento. Segundo o raio X do COI, a cidade se mostra despreparada para o evento e com sérias dificuldades financeiras.

A avaliação do COI será usada como base dos debates que começam neste sábado, no Rio de Janeiro. Nas reuniões, estarão presentes membros da entidade, do governo brasileiro e de organizadores dos Jogos. O relatório tem 44 capítulos e classifica o estágio da preparação do país para o evento. Apesar do discurso otimista do COB, apenas metade do plano de realização estaria em dia.

O COI classificou os 44 capítulos da preparação em três cores diferentes: verde, para áreas em dia; amarelo, para as que apresentam preocupação; e vermelho para as que já estão comprometidas. A maior dúvida é em relação às instalações esportivas. Segundo o COI, os locais de competições ainda não foram 100% confirmados. A entidade reclama das constantes mudanças de plano dos organizadores. “Ainda existem muitas e frequentes mudanças de locais ou incertezas sobre a localização e especificações das instalações”, teria sido escrito no relatório.

Entre as incertezas estão as instalações para os esportes aquáticos, corrida de rua, o Maracanã, canoagem e outros. “Essas mudanças e incertezas têm ou poderão ter impactos negativos nas operações”, afirma o relatório. Segundo o COI, a organização teria de saber em abril a capacidade total das instalações, mas adiou para novembro.

Outra crítica é direcionada ao plano para Deodoro, com “atrasos adicionais no processo de licitação”.  O COI pede “urgência máxima” no planejamento, nas licitações e na construção do local. Segundo o cronograma indicado no documento, o projeto de Deodoro deveria estar pronto em maio de 2012. Mas o novo prazo é novembro de 2013. Há também críticas em relação às condições do estádio olímpico João Havelange.

Outro alerta da entidade é em relação à estrutura. No transporte, o Comitê pede um “monitoramento muito cuidadoso” da Linha 4 do Metrô e das obras entre Barra e Zona Sul, atrasadas. Para o COI, haveria o risco de uma frota insuficiente de ônibus. A entidade pede um plano alternativo de transporte, caso a construção da Linha 4 do Metrô falhe. Em amarelo, o comitê mostra preocupação quanto ao abastecimento de água e eletricidade, além da obra do porto.

A rede hoteleira também preocupa. Até agora, o número de quartos contratados é de 19,2 mil. Para o COI, o evento exigiria 45 mil à disposição do público. O relatório também revela o atraso dos contratos dos navios que seriam usados como hotéis, no Rio. A previsão inicial da assinatura era para março, mas foi adiada para o fim do ano por conta de um “interesse mais baixo do que se esperava”. O aeroporto também preocupa e está sinalizado em amarelo.

 

clickfato
clickfato
Site de noticias em geral, sobre o cotidiano, voltado para noticias de cultura, entretenimento, música, politica, aviação e tecnologia. Informações inspiradoras, positivas e engraçadas também tem espaço. ► Entre em contato e envie o seu material: clickfato@gmail.com
%d blogueiros gostam disto: