Tito regrava música de Cazuza
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Tito teve uma epifania quando se apresentava como cantor em cruzeiros marítimos. Durante três anos ele rodou o mundo com shows a bordo, então percebeu que pela música ele conseguiria abrir o diálogo sobre assuntos com intuito transformador.

Sua estrada (e seus oceanos) na música completam 15 anos. Ele começou em 2008, com o seu álbum de estreia, “Bem-Vindo”, a cantora Claudia Leitte gravou a canção “Horizonte”. De lá pra cá lançou um single e dois EP’s, todos com músicas autorais, sempre com letras que convidam a pensar sobre o simplesmente “ser”, “estar”, “viver”, “sonhar” e principalmente “questionar”.

Não é à toa que ele lança neste conturbado 2019 uma versão no mínimo visceral de “O Tempo Não Para”, de Cazuza, primeiro single de um novo EP. A ideia de manifestação contundente, porem, poética se deu primeiramente através da música “Eles Resistem”, com gravação na Av. Paulista tendo sua voz extra melódica acompanhada tão somente pela “percussão” do seu pisar.Isso foi no auge da polarização que a eleição presidencial trouxe ao país. Tito soltou o vídeo no simbólico 7 de setembro de 2018. Ali estava a semente de “O Tempo Não Para”, que sai agora, em todas as plataformas digitais, com produção musical da Pparalelo e clipe dirigido pela C 38 Estúdio.

A proposta de Tito com a versão (e atingida à perfeição) é a de utilização da comunicação não-violenta. Mesmo que tudo indique um caminho natural para o contrário – a letra áspera e atual, o cenário político do Brasil.Porém, Tito não tira o pé do peso ao conduzir a enfática melodia de”O Tempo Não Para”, incluindo em sua versão a citação incidental de Ideologia: “Meus heróis morreram de overdose/meus inimigos estão no poder“.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=w32h3u6YrRo]

Essa capacidade plural de brincar com a música está escrita em sua trajetória, desde que começou a fazer shows em caravanas artísticas de rádios da região de Campinas, para que sua música tocasse nas emissoras.

Tito, que iniciou sua trajetória na dança aos 9 anos, passou a compor aos 18 anos, com uma base de piano e solfejando melodias para acompanhar as letras que escrevia. Teve Banda de Bossa Nova, gravou álbum, EP, Single, embarcou em navios onde tudo começou, incluindo esse texto.

E Tito segue, com a certeza de quem sabe de seu propósito e de sua relação de amor, tão bem sucedida, com a música.

Sorte a nossa ter um artista assim tão engajado com a arte e tão generoso em compartilhá-la conosco.

Claudiana Rosário
Claudiana Rosário
Jornalista e assessora de imprensa.
%d blogueiros gostam disto: