Categorias
Noticias

Vila Butantan sedia o 1º Festival Pé na Jaca

Os apaixonados por doces ganharão um evento especial nos dias 30 de abril 1º de maio: o 1º Festival Pé na Jaca de São Paulo que reunirá diversos tipos dessas delícias na Vila Butantan, espaço totalmente dedicado à cultura, eventos, gastronomia e convívio, próximo ao metrô Butantã.

Com entrada franca, todos os presentes poderão conferir a gastronomia de locais como: Nice Trailer com os seus deliciosos cookies com sorvete; Sweet Angel repleto de bolos recheados; Pink com diversidade de brownies; Doce Vitta com o bolo de pote; ChefCook com opções como ambrosia, cocada e pão de mel; Brigadeiro in BoxDona Coelho com seus cupcakes;Pastissophie e a torta limão e de ganache; Belle Dulce com os bombons; Olha Isso e suas cheese cakes; Lisboeta com seleta seleção de doces portugueses; Mini Donuts recheados;  Candy Crush com milk shake e Churros; Cris Brule e Churros e Me Gusta Picolés.

Vila Butantan em breve contará com uma segunda etapa do projeto que englobará um mall de containers reciclados. O projeto tem como objetivo trazer ao bairro lazer, gastronomia e cultura ao ar livre.

Serviço:

O que: 1º Festival Pé na Jaca
Onde: Vila Butantan
Endereço: Rua Agostinho Cantu, 47 – Butantã (SP).
Quando:  dia 30/04 (das 11h às 22h) e 01/05 (11h às 20h)

Entrada Franca – Censura livre. Acesso para deficientes. Banheiro adaptado. Serviço de valet no prédio ao lado (Rua Lemos Monteiro, 120 / R$ 20). Bicicletário. Pet Friendly. Público: mil pessoas.

Facebook e Instagram: @vilabutantan

 

Fonte:  Gina von Hertwig Comunicações Assessora de Imprensa

 

Categorias
Cultura Noticias

Sp e RJ recebem o Festival de Documentários “É Tudo Verdade”

Entre os dias 7 e 17 de abril as telas de cinema de São Paulo e Rio de janeiro exibirão 85 títulos de documentários de 26 países selecionados para o É tudo verdade – 21º Festival Internacional de Documentários. Nesta edição, serão 22 estreias mundiais, uma mostra especial sobre as Olimpíadas, uma retrospectiva da obra de Carlos Nader, e sessões especiais homenageando os cineastas Chantal Akrman, Ruy Guerra, Claude Lanzmann e Haskell Wexler. Todas as sessões são gratuitas.

Entre a programação estão sete produções nacionais inéditas no país, selecionadas para a Competição Brasileira de Longas e Médias-Metragens, e nove para a Competição de Curta-Metragens. Participam da Competição Internacional de Longas e Médias-Metragens 12 documentários inéditos no Brasil e nove da Competição Internacional de Curta-Metragens. Além disso haverá programas especiais e as sessões informativas Projeções Especiais, O Estado das Coisas, Foco Latino-Americano.

Os filmes selecionados para a competição brasileira de longas ou médias metragens são: Cacaso da corda bamba (José Joaquim Sales, Rio de Janeiro); Cícero Dias, o compadre de Picasso (Vladimir Carvalho, Distrito Federal); Galeria F (Emília Silveira, Rio de Janeiro); Imagens do Estado Novo 1937-45 (Eduardo Escorel, Rio de Janeiro/São Paulo); Jonas e o Circo sem Lona (Paula Gomes, Bahia); Manter a Linha da Cordilheira sem o Desmaio da Planície (Walter Carvalho, Rio de Janeiro); O Futebol (Sérgio Oksman, São Paulo/Espanha).

Na competição internacional de longas ou médias-metragens concorrem; 327 cadernos (Andrés Di Tella, Argentina, Chile); Anos Claros (Frédéric Guillaume, Bélgica); Catástrofe (Alina Rudniyskaya, Rússia); Chicago Boys (Carola Fuentes, Rafael Valdeavellano, Chile); Gigante (Zhao Liang, França); Kate Interpreta Christine (Robert Greene, EUA); No Limbo (Antoine Viviani, França); Nuts! (Penny Lane, EUA); Paciente (Jorge Caballero Ramos, Colômbia); Sob o Sol (Vitaly Mansky, Rússia); Tudo Começou pelo Fim (Luis Ospina, Colômbia); Um Caso de família (Tom Fassaert, Holanda).

A competição brasileira de curta-metragens traz os títulos A Culpa é da Foto (Eraldo Peres, André Dusek, Joédson Alves, Distrito Federal); Abissal (Arthur Leite, Ceará); Aqueles Anos em Dezembro (Felipe Arrojo Poroger, São Paulo); Buscando Helena (Roberto Berliner, Ana Amélia Macedo, Rio de Janeiro); Fora de Quadro (Txai Ferraz, Pernambuco); O Oco da Fala (Miriam Chnaiderman, São Paulo); Praça de Guerra (Edi Júnior, Paraíba); Sem Título #3: e para poetas em tempo de pobreza? (Carlos Adriano, São Paulo); Vida como Rizoma (Lizi Kieling, Rio Grande do Sul).

Na competição internacional de curtas participam A Glória de Fazer Cinema em Portugal (Manuel Mozos, Portugal); A Visita (Pippo Delbono, França); Caracóis (Grzegorz Szczepaniak, Polônia); Carmen (Mariano Samengo, Argentina); Cosmopolitanismo (Erik Gandini, Suécia); Eu Tenho uma Arma (Ahmad Shawar, Palestina); Fátima (Nina Khada, Alemanha); Munique 72 e além (Stephen Crisman, EUA); O Atirador de Elite de Kobani (Reber Dosky, Holanda).

veja mais no site do festival

Categorias
Cultura Destaque Geral Noticias

Encontros entre o Brasil e a África no Festival Afreaka, na Biblioteca Mario de Andrade

afreaka1610940_871009626312059_9191886653422702718_n

O Festival Afreaka invade a Biblioteca Mário de Andrade com o melhor das artes africanas e afro-brasileiras. O evento acontece durante o mês de junho entre os dias 09 e 27.

O Festival é uma iniciativa multidisciplinar que visa romper os estereótipos presentes da África no Brasil, evocando o seu lado inovador, proativo e artístico e promovendo o diálogo de representantes da cultura de raízes afro-brasileiras com artistas e intelectuais contemporâneos do continente africano.

O evento tem artes visuais e gráficas, literatura, ciências humanas e moda  e quer colaborar com a promoção da cultura trazendo atrações, obras e artistas capazes de sensibilizar e dialogar com o público, incitando uma discussão mais rica sobre uma das principais regiões de origem da população brasileira.

(Com retirada de ingresso no local uma hora antes de cada evento)
Mais informações: http://www.afreaka.com.br/festivalafreaka/

Programação:

Dia 09/06 – Abertura:
19h30 – Mesa de debate “Brasil e África: entre tradições e modernidades” Com: Malama Katulwende (Zãmbia) e Raquel Trindade (Brasil)

Dia 10/06
17h – Sessão de cinema:
Jardim das Folhas Sagradas (Pola Ribeiro)

19h30 – Workshop:
Laboratório Criativo: Inovação digital na Nigéria
Com Bosun Tijani CC Hub (Nigéria)

Dia 11/06
17h – Sessão de cinema:
Dear Mandela (Dara Kell)

19h30 – Workshop:
O avanço criativo da Arte Digital
Com Jepchumba (Quênia/África do Sul)

Dia 12/06
19h30 – Sessão de cinema:
Guimba (Cheick Omar Sissoko)

Dia 13 e 14/06
9h às 17h – Painéis Urbanos: Integração, Arte e Grafite:
Com Docta (Senegal) e Alexandre Keto (Brasil)
Local: Hemeroteca BMA, Rua Dr. Bráulio Gomes, nº.125 (Ao lado da Biblioteca Mário de Andrade:)

Dia 16/06
14h – Palestra Identidades e Deslocamentos:
Com Alexandra B. Loras – Consulesa da França no Brasil (França)

17h – Sessão de cinema:
Menina Mulher da Pele Preta (Renato Cândido)

19h30 – Otello Burning (Sara Blecher)

Dia 17/06
17h – Sessão de cinema – CURTAS
Discriminação não é legal (Daniel Caetano)
Yellow Fever (Ng’endo Mukii)
Balé Pé no Chão (Lilian Solá Santiago)
Graffiti (Lilian Solá Santiago)

19h30 – Workshop:
Cabelos como Arte Política
Com Manifesto Crespo (Brasil)

Dia 18/06
14h – Mesa de Debate: Empoderamento do Cinema Negro no Brasil:
Com Jeferson De (Brasil) e Viviane Ferreira (Brasil)

17h – Sessão de cinema -CURTAS
Narciso Rep (Jeferson De)
Quarto de Despejo (Jeferson De)
O Dia de Jerusa (Viviane Ferreira)

19h30 – Workshop:
Os cortes da estética afro futurística
Com Wale Oyedije (Nigéria)

Dia 20/06
13h – Palestra Afreaka: Protagonismo em movimento: África fora dos Estereótipos
Com Flora Pereira e Natan de Aquino, Projeto Afreaka (Brasil)

Dia 24/06
14h00 – Mesa de Debate: A arte afro-brasileira contemporânea: Ativismo como essência
Surama Caggiano (Brasil) e Moisés Patrício (Brasil)

Dia 25/06
17h – Sessão de cinema:
100% Dakar – More than art (Sandra Krampelhuber)

19h30 – Workshop:
Mídia Alternativa: resistência, inovação e inventividade – Revista Chimurenga Com Graeme Arandse (África do Sul)

Dia 26/06
19h Workshop:
Artes Performáticas e Experiências Multimídias
Com Ishola Akpo (Costa do Marfim e Benim)
+ performance

27/06
13h – Mesa de encerramento:
Manifestações contemporâneas e ativismos literários
Com Paulina Chiziane (Moçambique) e Ana Maria Gonçalves