Categorias
Musica

Novo disco de Elza Soares terá participação de Ilú Obá de Min

Finalizando seu novo álbum, “Deus É Mulher”, a cantora Elza Soares contou com a participação do grupo Ilú Obá de Min, formado apenas por mulheres. O bloco afro gravou percussão e vozes em duas músicas do novo disco, “Dentro de Cada Um”, com arranjo percussivo regido pela maestrina Beth Belli, e “Banho”, de autoria da cantora Tulipa Ruiz.

As meninas do Ilú fazem um trabalho lindo. Esse disco novo precisava delas. Mulheres, negras, que cuidam da memória da nossa ascendência africana, dos nossos costumes. Sinto que ao convidá-las eu completei o disco e fiz justiça. As duas músicas que elas gravaram são especiais pra mim. Pois é, estou feliz, cara”- diz Elza.

O título, que sugere um mundo com maior expressividade feminina, traz uma ideia de sucessão do álbum “A Mulher do Fim do Mundo”, no qual ela denunciava uma forma de pensamento ainda arcaico e propunha o fim de uma era essencialmente machista e preconceituosa. O Ilú Obá de Min reforça a energia feminina do álbum, assim como a presença de Mariá Portugal (bateria, percussão e MPC) e Maria Beraldo (clarinete e clarone) na banda que participa das gravações.

O álbum é produzido por Guilherme Kastrup, com coprodução de Romulo Fróes, Marcelo Cabral (baixo e bass synth), Rodrigo Campos (cavaquinho e guitarra) e Kiko Dinucci (guitarra, sintetizador e sampler).

“Deus É Mulher” será lançado pela gravadora Deck em maio

Categorias
Destaque Musica

Elza Soares assina com a Deck e prepara novo álbum

Estrela da música brasileira, Elza Soares está em estúdio preparando seu trigésimo terceiro álbum. O disco, que está sendo gravado entre os estúdios Red Bull (São Paulo) e Tambor (Rio de Janeiro), tem previsão de lançamento para abril desse ano.

Após 21 anos lançando seus trabalhos de forma independente, esse marca o início da parceria com a Deck, com quem acaba de assinar contrato.

O nome escolhido, “Deus É Mulher”, reflete a temática polêmica e engajada das músicas. O título também traz a ideia de sucessão de “A Mulher do Fim do Mundo”, o disco mais recente onde Elza denunciava uma forma de pensamento ainda arcaico, propondo o fim de uma era essencialmente machista e preconceituosa. O novo trabalho sugere o nascimento de uma nova era, conduzida pela energia feminina.

Para a concepção desse disco, o diretor artístico Romulo Fróes e o produtor musical Guilherme Kastrup reuniram um grande núcleo criativo, com arranjadores e músicos. Entre eles o seu fiel time da vanguarda paulistana: Marcelo Cabral (baixo e Bass Synth), Rodrigo Campos (cavaquinho e guitarra), Kiko Dinucci (guitarra, sintetizador e sampler). Reforçando a presença feminina no novo álbum, o time ainda conta com Mariá Portugal (bateria, percussão e MPC) e Maria Beraldo (clarinete e clarone).

 

 

 

Fonte: Batucada Comunicação

Imagem: Divulgação

Categorias
Cultura Destaque Geral Noticias Sem categoria

Elza Soares apresenta novo show e disco nos Teatros Alfredo Mesquita e Arthur Azevedo, em sampa

elzasoaresdivulgacao500x400_1446042400Foto: divulgação

Durante o mês de novembro, a voz rouca e a forte presença de Elza Soares chegam ao Circuito Municipal de Cultura. Aos 85 anos, a cantora apresenta seu álbum recém-lançado, “A mulher do fim do mundo”, em dois shows gratuitos: nos Teatros Alfredo Mesquita, dia 6, às 21h, e Arthur Azevedo, dia 22, às 19h. Entre os compositores que assinam faixas do disco, estão José Miguel Wisnik e Cacá Machado. No palco, a cantora é acompanhada dos músicos Kiko Dinucci, Marcelo Cabral e Rômulo Fróes.

Durante toda a carreira, que se iniciou no show de calouros comandado por Ary Barroso na década de 1950, Elza sempre ousou, misturando diferentes gêneros musicais, como jazz, samba e bossa nova. Neste novo álbum, trigésimo terceiro de sua trajetória artística, a cantora continua surpreendendo o público com canções que vão do rock, como “Benedita”, a uma gravação do poema de Oswald de Andrade, “Coração ao mar”, musicada por Wisnik. O samba, maior característica da intérprete, tem presença marcada no álbum e destaca a força da mulher em faixas como aquela que dá nome ao disco e “Pra f****”.

Serviço:

| Teatro Alfredo Mesquita. Av. Santos Dumont, 1.770, Santana. Zona Norte. | tel. 2221-3657. Dia 6, 21h. Grátis (retirar ingresso a partir das 14h)

| Teatro Municipal da Mooca Arthur Azevedo. Av. Paes de Barros, 955, Mooca, Zona Leste | tel. 2605-8007. Dia 22, 19h. Grátis (retirar ingresso a partir das 14h)

 

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura