Categorias
Destaque Musica

Luísa Sonza lança o videoclipe de “Fazendo Assim”

Um dos grandes nomes em ascensão do pop nacional, Luísa Sonza, acaba de lança hoje às 11h o quarto clipe de seu recém-lançado álbum, “Pandora”. “Fazendo Assim”, que conta com a participação do cantor Gaab, promete ser um grande sucesso.

Recentemente, a artista lançou também os de clipes “Garupa”, que tem feat da cantora Pabllo Vittar, e de “Eliane”, que contou com participação de sua mãe no videoclipe.

O Gaab é um cantor extremamente talentoso, e jovem assim como eu. Poder trabalhar com ele foi um enorme privilégio e um grande aprendizado. Ele esteve presente no primeiro show da turnê de Pandora e agora, nas gravações do clipe, foi muito bacana Nos divertimos muito e acredito que o público vai amar o resultado”, diz a cantora.

Dirigido por Rodrigo Pitta e Mariana Jorge, produzido pelo coletivo de entretenimento TEAM O! e com curadoria da Mynd, o clipe foi gravado na Chapada Diamantina região de serras, situada no centro do estado brasileiro da Bahia, onde nascem quase todos os rios das bacias do Paraguaçu, do Jacuípe e do Rio de Contas.

Uma das principais referências para gravação do clipe foi o filme cult Indiana Jones, além de fazer alusão a mitos e divindades da humanidade. No clipe, a cantora interpreta ELLE, uma deusa fictícia que se transforma em sereia, em uma divindade a la Ganesha e em uma amazona vinda de outro planeta. ELLE surge para hipnotizar um aventureiro, interpretado pelo cantor Gaab, que está em expedição pelo sertão nordestino, em busca da mística gruta de Pandora.

Estávamos em busca de algum lugar no Brasil que pudesse ser o cenário perfeito para a abertura da caixa de Pandora e queríamos fazer um clipe de aventura e cinematográfico. Aí pensamos em brincar com o Indiana Jones, mas misturamos vários mitos, sereias, ciganas, rainhas. Precisávamos de um lugar místico, grandioso e especial. Por isso fomos para a Chapada Diamantina”, conta Rodrigo Pitta.

Os figurinos do clipe foram criados pelo designer e ator Theodoro Cochrane e a direção de arte e objetos ficou a cargo do artista plástico baiano Roney George.

Além do featuring do cantor Gaab, o clipe conta com seis bailarinos, que foram selecionados em uma audição em Salvador, que interpretam os guardiões que protegem a divindade ELLE nas cavernas. A coreografia é assinada por Flávio Verne.

Esta é só mais uma das novidades da jovem cantora que tem mais muitos lançamentos ainda para este ano e possui mais de 20.4 milhões de seguidores nas redes sociais. “O público pode esperar muita coisa bacana para este ano. Também já estou começando também a planejar o próximo álbum”, finaliza Luísa.

LETRA DA MÚSICA:

Vi que você ‘ta sozinho
Coincidência, eu ‘to também
Será que hoje eu consigo acabar contigo?
Eu vou falar no pé do ouvido o que eu quero com você
Eu ‘to querendo, eu admito
Acabar contigo

O melhor é você já se preparar
Já ‘to vendo aonde isso vai parar
Nossos corpos dançando na horizontal
Nada vai separar
Essa noite você não foge de mim
Vou te hipnotizar, deixar maluquin’
Eu vou jogando sujo pra te provocar

Fazendo assim
Fazendo assim
Fazendo assim
Fazendo assim
Fazendo assim

Me leva Passou tanto tempo e você ainda me espera
Agora eu cheguei
Você sabe, já era
Tudo ainda é pouco
É amor, já era
Eu sei te entender
Eu consigo enxergar a gente acontecer
Gosto de imaginar
Imagina fazer, só eu e você
A noite vai te explicando

O melhor é você já se preparar
Já ‘to vendo aonde isso vai parar
Nossos corpos dançando na horizontal
Nada vai separar
Essa noite você não foge de mim
Vou te hipnotizar, deixar maluquin’
Eu vou jogando sujo pra te provocar

Fazendo assim
Fazendo assim
Fazendo assim
Fazendo assim
Fazendo assim
Fazendo assim
Fazendo assim

Vi que você ‘ta sozinho
Coincidência, eu ‘to também
Será que hoje eu consigo acabar contigo?
Eu vou falar no pé do ouvido o que eu quero com você
Eu ‘to querendo, eu admito (oh oh)

FICHA TÉNICA:

Produzido por TEAM O!

Criado por: Rodrigo Pitta

Estrelando: Luísa Sonza

Featuring: Gaab

Direção: Rodrigo Pitta e Mariana Jorge

Direção de Fotografia: Heitor Cavalheiro

Coreografia: Flávio Verne

Figurino: Theodoro Cochrane

Direção de Arte: Roney Jorge

Créditos/Fotos: Team-O/Edgar de Souza

Categorias
Destaque Musica

Trio Parada Dura fala sobre o novo DVD ‘Pense Num Trem Que Dói’

Na noite dessa quarta-feira (21), o Trio Parada Dura, recebeu a imprensa no Cowboys Bar na capital paulista, para falar do seu novo DVD “Pensa Num Trem que Dói”. Gravado em Belo Horizonte-MG, no final do ano passado e tem a participação das duplas Maiara & Maraisa Matogrosso & Mathias, Cesar Menotti & Fabiano, Lucas Reis e Thácio e do cantor Leo Magalhães.

O trio hoje formado por Creone, Parrerito e Xonadão comentaram principalmente as parcerias feitas neste novo trabalho. “O Trio Parada Dura construiu uma marca ao logo dessas cinco décadas, por isso nosso repertório vem de respeito ao público, o nosso estilo é Modão e o povo espera da gente esse modão, não é fácil fazer um estilo ou marca, e o que trouxemos nas parcerias foi exatamente isso agregar os novos talentos e resultar nessas músicas inclriveis que ficaram esse DVD.” Disse Xonadão.

Cleone, único remanescente da formação original destaca que o sertanejo raiz e o modão vai ter sempre seu espaço cativo, entretanto ele não ver uma dupla ou artista que possa dar seguimento atualmente na mesma linha do Trio Parada Dura. “As duplas hoje tem estilo muito parecidas diferente do que era antes, são ótimas duplas, mas carregar uma marca tem que ter estilo definido e isso que o Trio Parada Dura tem.”

Parrerito explica que hoje é difícil encontrar uma música como “As Andorinhas”, “Telefone Mudo”, “É O Amor”,”Chalana” e “Evidências” que vai atravessar décadas e sendo reverenciada, e isso que faz do Trio Parada Dura uma relação com desse sertanejo raiz-modão com o que se tem atual.

Sobre as músicas novas a primeira a ser divulgada em vídeo foi “Controle Remoto” com participação de Maiara & Maraisa que já ultrapassou 500 mil visualizações. Porém Xonadão se diz surpreso com a repercussão de “Se For Passar em Goiânia” feat. Matogrosso & Mathias.

Pelo sexto ano consecutivo o Trio estará se apresentando na Festa do Peão de Barretos, mais um marco para o sertanejo raiz em meio a tantos astros variados da música. “O povo pede modão e lá estaremos nós mostrando o melhor que podermos nessa que é a maior vitrine da música sertaneja.” Salientaram.

   

 

#ClickFato #TrioParadaDura #Sertanejo #SertanejoRaiz #Modao #PenseNumTremQueDoi #CowboysBar #Creone #Parrerito # Xonadão #MatogrossoeMathias #CesarMenottieFabiano #MaiaraeMaraisa #LucasReiseThacio #LeoMagalhães #ClaudeLopes  #ColetivaDeImprensa

Categorias
Noticias

Dia D promove inserção de PcDs e reabilitados do INSS no mercado de trabalho

Ação acontece a partir desta terça (20) no estado do Rio de Janeiro.

Há vinte e oito anos, a Lei 8.213/91, em seu artigo 93, estabeleceu a chamada Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência e Reabilitados do INSS. A partir de então as empresas com 100 ou mais empregados deveriam possuir em seus quadros de 2% à 5% de PcDs ou Beneficiários Reabilitados do INSS.

Desde então muito se caminhou, a legislação evoluiu e hoje em dia existe vasto arcabouço doutrinário e jurídico regulamentando o tema. O Ministério da Economia e a Subsecretaria de Fiscalização do Trabalho acompanharam e participaram ativamente dessa evolução, se estruturando para atuar não só verificando o cumprimento da lei nas empresas obrigadas a cumprir a cota, mas também para fomentar nas empresas auditadas políticas internas de inserção, responsabilidade social e cultura da diversidade, por meio de palestras, congressos e outros eventos.

Uma das principais atividades empreendidas, nesse sentido, é o Dia D, realizado anualmente, desde 2014, e cujo objetivo é promover a inserção de PcDs e Reabilitados do INSS no mercado de trabalho, oferecendo no mesmo dia e local RHs avançados de empresas parceiras engajadas nessa mesma meta.

“O Dia D é uma das ferramentas mais importantes na empregabilidade da pessoa com deficiência. O Nead (Núcleo de Atendimento ao Deficiente), foi pensado para além de intermediar vagas de emprego, esclarecer nas questões trabalhistas, beneficiarias e até mesmo capacitar para o mercado de trabalho. O Rio de Janeiro precisa desse olhar mais acolhedor quando se trata da pessoa com deficiência.”, explica Ana Asti, Subsecretária de Estado de Emprego e Renda.

O alcance desta iniciativa, porém, vai além dos PcDs e Reabilitados contratados nos eventos, ela se estende à troca de experiências entre os departamentos de recursos humanos das empresas participantes, e entre estas e as instituições participantes, como o próprio Ministério da Economia, MPT, INSS, SINE, Instituto Benjamin Constant, Instituto Nacional de Educação dos Surdos, OAB/RJ, Casa de Inclusão, entre outros.

“A Casa da Inclusão conta com uma equipe técnica com psicólogos, assistentes sociais, psicopedagogos, orientando as pessoas com deficiência para o mercado de trabalho; orientando e esclarecendo as dúvidas das famílias e realizando palestras de sensibilização e orientação nas empresas parceiras. Nossa missão é a de incluir as pessoas com deficiências na sociedade.”, comenta Florence Sznaider, Coordenadora da Casa de Inclusão.

Para viabilizar a realização do Circuito Dia D de 2019, foi essencial o apoio recebido de empresas, entidades e órgãos públicos alinhados com o entendimento de que a não discriminação e a promoção da diversidade são valores essenciais à sociedade e estimulantes à produtividade das empresas, entre elas South & Co,  ICN – Itaguaí Construções Navais, ProEcho, Caçula, Supermercados Costazul, OCTODATA, Fluzão, Supermercados Mundial, Amoedo, Gerdau,  Ternium, Supermercados Guanabara e All Dubbing Estúdio.

A oferta de oportunidades para pessoas com deficiência entre outras é obrigatória por lei e de estrema importância na sociedade. Segundo o último censo do IBGE, 25 milhões de brasileiros (quase 15% da população) possui algum tipo de deficiência.

“Não importa o tipo de necessidade que a pessoa tenha, ela precisa ter esse acesso disponível em sua vida cotidiana. Garantir a acessibilidade é fundamental por se tratar de uma questão de cidadania. A nossa proposta no evento é participar levando a oficina sensorial, interpretes de libras e audiodescrição, para dar apoio e atendimento a cegos e surdos, além de incluir criando empatia.”, dizem Ana Lúcia Motta e Patrícia Saiago, Diretoras da All Dubbing.

Este ano serão promovidos no Estado nove “Dias D” que formaram o Circuito Dia D 2019 nas seguintes localidades:

20/ago – Centro Esportivo Miécimo da Silva,  Rua Olinda Ellis, nº  470, Campo Grande/RJ.

23/ago – Associação Atlética Cabofriense, Rua 13 de novembro, nº 386, Centro, Cabo Frio.

29/ago – Praça dos Três Poderes Praça dos Três Poderes, Vilar dos Teles, São João Meriti/RJ.

11/set – Ilha São João, em Volta Redonda/RJ.

05/set – Praça Conselheiro Macedo Soares, Praça Conselheiro Macedo Soares, Centro Maricá/RJ.

10/set – Universidade Católica de Petrópolis, Rua Benjamin Constant, nº 213, Centro Petrópolis/RJ.

12/set – Espaço Niemeyer, R. Jornalista Rogério Coelho Neto, centro – Niterói/RJ.
17/set   – Quadra do G.R.E.E.S.  Portela, Rua Clara Nunes, nº 81, Oswaldo Cruz/RJ.

19/set – Catedral de São Sebastião do RJ, Avenida Chile, nº 245, Centro/RJ.

Resultados de 2018

Na edição de 2018 também participaram mais de cem empresas diferentes, que disponibilizaram mais de três mil vagas de emprego por meio dos SINE Estadual/RJ e Municipais. Em cada evento também foi disponibilizado serviço de emissão de Carteira de Trabalho pelo Ministério da Economia (então Ministério do Trabalho), informações de benefícios previdenciários pelo INSS, e esclarecimento de dúvidas legais pela OAB/RJ, os atendimentos realizados focaram somente Pessoas com Deficiência ou Segurados Reabilitados do INSS.

Em 2018 foram fiscalizados pelo Ministério do Trabalho no Estado do Rio de Janeiro 2194 empresas e foram inseridas 4504 PcDs e Reabilitados do INSS durante ação fiscal, o melhor índice já atingido no Estado.
Apesar de tudo o que foi conquistado, ainda temos um longo caminho a percorrer, de acordo com informações da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), ano base 2017, no estado do Rio de Janeiro a obrigação de contratar PcDs e Reabilitados abrange 2904 empregadores, que, ao todo, estão obrigados a contratar 70.060 PcDs/reabilitados, e somente 40% das vagas destinadas a PcDs e Reabilitados foram cumpridas.

Os dados apresentados referem-se às empresas com matriz no Rio de Janeiro, tendo em vista que a cota é calculada sobre o total dos empregados da matriz e filiais. Por essa razão, os empregados das filiais são sempre contabilizados na unidade geográfica da matriz.

Observando os dados com base na natureza jurídica dos empregadores, vemos que a Administração Pública, representada no Estado por 37 empregadores, possui um total de 924 vagas reservadas para PcDs e Reabilitados, tendo cumprido somente 33 dessas vagas, gerando um déficit de 891 vagas (96%), sendo que 26 (70%) destes empregadores possuem 0 (zero) PcDs ou reabilitados contratados.

Entre as Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista, representadas no Estado por 30 empregadores, possui um total de 4812 vagas reservadas para PcDs e Reabilitados, tendo cumprido somente 1165 dessas vagas, gerando um déficit de 3647 vagas (76%), sendo que 13 (43%) destes empregadores possuem 0 (zero) PcDs ou reabilitados contratados.
Por fim, os empregadores privados, representados no Estado por 2837 empregadores, possuem um total de 64324 vagas reservadas para PcDs e Reabilitados, tendo cumprido somente 26659 dessas vagas, gerando um déficit de 37665 vagas (59%), sendo que 863 (30%) destes empregadores possuem 0 (zero) PcDs ou reabilitados contratados.

Tomando por base a atividade econômica preponderante dos empregadores, verificamos que os piores índices de cumprimento da cota estão associados à Administração Pública, 05%, atividades administrativas e serviços complementares, 19%, e na construção 21%.
Em relação ao tamanho as empresas, observamos que, na média, aquelas com mais de 1000 empregados possuem índices de cumprimento da cota inferiores às demais.

Por fim, em relação ao tipo de deficiência, dos 405.388 empregados com deficiência no Brasil:

  • 178.410 (47%) possuem deficiência física;
  • 72.752 (19%) possuem deficiência auditiva;
  • 53.072 (14%) possuem deficiência visual;
  • 33.157 (9%) possuem deficiência mental ou intelectual;
  • 6.168 (2%) possuem deficiência múltipla;
  • 35.014 (9%) são beneficiários reabilitados.

Os números acima apresentados podem ser comparados com os dados da população residente, para uma análise da influência do tipo de deficiência na inclusão no mercado de trabalho. Conforme o Censo Demográfico 2010, no Brasil havia 8.998.671 pessoas entre 18 a 64 anos com deficiência em gradações mais severas (“não consegue de modo algum” e “grande dificuldade”), distribuídas da seguinte forma:

  • 2.110.883 (23%) PcD física
  • 1.046.635 (12%) PcD auditiva
  • 4.145.969 (46%) PcD visual
  • 1.695.184 (19%) PcD mental/intelectual

Observa-se, portanto, que as PCD física possuem menos dificuldade para conseguir emprego do que as PCD auditiva, visual e mental/intelectual. Por outro lado, as PCD visual são as que enfrentam maiores dificuldades para serem contratadas.

É importante enfatizar que a participação das pessoas com deficiência e reabilitados no mercado de trabalho traz benefícios ao próprio trabalhador e também à sociedade como um todo. Para a pessoa contratada, os benefícios da inclusão no trabalho, tais como aumento da renda e fortalecimento de laços sociais, tem como consequência o aumento de sua independência e autoestima e, em última análise, a garantia de sua dignidade.

Para a sociedade, a inclusão produtiva das pessoas com deficiência traz benefícios econômicos e orçamentários e culturais. Por meio do trabalho, essas pessoas deixam de depender da assistência das famílias e do Estado e passam a se manter, ainda que parcialmente, por meio da própria renda. Além disso, a presença das pessoas com deficiência em espaços de convívio antes não acessados tem como efeito a transformação da visão social sobre esse grupo de pessoas, que ainda é frequentemente estigmatizado.

Categorias
Cultura Destaque Famosos

A Sétima Arte movimenta a região Serrana do Rio

O ator Lima Duarte será o grande homenageado do evento.

4ª edição do Brazil International Film Festival leva celebridades e diretores do cinema do Brasil e do mundo à região Serrana do Rio. De 23 a 25 de agosto a cidade de Teresópolis vai brilhar com a presença de diversas celebridades e profissionais ligados ao mundo do cinema. A 4ª edição do Brazil Intrnational Film Festival vai premiar dezenas de filmes entre as mais de 1,5 mil obras inscritas para a premiação internacional, que também tem festivais na Alemanha, Canadá, Espanha, França e Portugal.

O ator Lima Duarte será o grande homenageado do evento. O Artista celebra os seus 70 anos de carreira lembrando participação em mais de 40 filmes.

“Eu fico muito agradecido à comissão que me escolheu e resolveu me homenagear. Espero contar com todos para este festival e para a exibição do curta ‘A volta para casa’, filme muito interessante que mostra uma soma de minha vida agora aos 90 anos de idade.”, comenta o ator.

Neste ano, o Brazil International Film Festival vai homenagear os 70 anos de carreira de Lima Duarte. Um dos mais consagrados artistas do Brasil, Lima atuou e desenvolveu diversas funções em mais de 40 filmes. Ele receberá um prêmio especial pelo conjunto da obra. A noite de gala, com a entrega dos prêmios aos vencedores, acontece no dia 24 de agosto, no Espaço Cultural Higino,um dos mais tradicionais e glamorosos pontos turísticos da cidade serrana.

“Trouxemos o festival para Teresópolis com o intuito de trazer a cidade de volta o título de cidade dos festivais, porém agora internacional. O evento movimentará toda região trazendo diversas estrelas do cinema nacional e internacional e promovendo a cultura. Estamos trazendo cinema de altíssima qualidade nas mais diversas categorias, de forma gratuita.”, comenta José Cláudio Silva, Diretor do Brazil International Film Festival.

Para além de celebrar a sétima arte, o Brazil International Film Festival resgata a tradição dos festivais de cinema na serra fluminense. Conhecida como a cidade dos festivais, Teresópolis se prepara novamente para receber diretores e celebridades que já confirmaram presença, e prometem aquecer o inverno.

O Festival cresce a cada ano e recebeu mais de 1500 inscrições. 62 Produções foram selecionadas e a organização espera um público de 7 mil pessoas, que poderão assistir diversas sessões gratuitas, além de poder participar de atividades educacionais ligadas ao cinema, como workshops, exposições, debate com o ator Lima Duarte e entrevistas com cineastas internacionais.

Produzido pela Ze ́s Produções e Mox Music, em parceria com a portuguesa Rosa dos Ventos o festival conta com o apoio do governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria Estadual de Turismo, além da parceria da Prefeitura Municipal de Teresópolis.