Categorias
Beleza Empresa

Para conseguir ficar bronzeada, empreendedora testa técnicas e acaba criando uma rede de franquias

Em expansão, a franquia da Cor de Praia oferece investimento mínimo de apenas R$ 35 mil e faturamento anual de mais de 100 mil

Karol Palhares, 30 anos, tinha um bom salário em uma empresa de energia de Minas Gerais, onde mora, mas ela queria um novo rumo na vida. Foi estagiando em uma clínica de estética que ela teve a ideia de abrir a Cor de Praia, empresa de make bronze, com sede no bairro de Lourdes, Zona Sul da capital mineira. Criada em 2010, a empresa conta com franquias no Rio de Janeiro, São Paulo, Cuiabá, e duas em Belo Horizonte. E o audacioso plano de expansão prevê alcançar 100 lojas em todo o Brasil até 2020.

A Cor de Praia atua no ramo de bronzeamento em domicílio ou em uma das lojas. Oferece uma linha de produtos exclusivas com bases orgânicas, 100% naturais e de qualidade, que produzem o efeito dourado/bronzeado instantaneamente, com até 14 dias de duração.

Karol entrou neste ramo de bronzeamento por acaso.  Ela sempre sonhou ter um bronzeado perfeito, mas nunca conseguia, porque é muito clara e a exposição solar a deixava vermelha. Até que testou o jet bronze (técnica de bronzeamento a jato) na clínica de estética onde estagiou. O resultado não foi dos melhores, mesmo assim, a empresária ficou feliz e se aprofundou na técnica.

“Fiquei laranja literalmente. Mas achei aquilo o máximo, pois com o Sol, eu nunca tinha ficado com a cútis de outra cor, além da vermelha. Então, comecei a me interessar por este procedimento que reage com a proteína da pele. Fui estudar mais sobre isso e percebi que a maioria dos autobronzeadores deixavam a pele com o aspecto artificial e o jet bronze manchava”, relembra a idealizadora da marca, que buscou no exterior métodos mais naturais:

“Fui testando e procurando matérias-primas no exterior que deixasse a pele com o aspecto natural, igual ao bronzeamento provocado pela exposição solar”.

Agora, a Cor de Praia tem estudos para internacionalizar a marca, com propostas em Miami, nos Estados Unidos, e Portugal.
“É um negócio que tem alta rentabilidade e uma procura muito grande”, enfatiza a empresária.

Segundo Karol, não há restrições de uso. As recomendações são para evitar banhos muitos quentes e o uso excessivo de piscina, para que o bronzeado fique por mais tempo na pele.

Desde a fundação, a empresa já atendeu mais de 20 mil clientes e realizou quase 20 mil bronzeamentos.

 

Investimento inicial baixo e rentabilidade alta

Com um investimento inicial de 35 mil reais é possível montar uma franquia da Cor de Praia. Existe um processo de seleção para candidatos a franqueadores.

 

“Eu procuro franqueadores que tenham amor pelos clientes e não apenas busquem o lucro”, pondera Karol.

 

 

Taxa de Franquia: a partir de R$30.000

 

Custo de Implantação: a partir de R$ 5.000

 

Taxa de royalties: 8%

 

Fundo de promoção: 2%

 

Retorno 14 meses

 

Faturamento médio anual de $100.000,00

https://www.instagram.com/cordepraia/?hl=pt-br

Foto Divulgação

Categorias
Musica

Alunos da Academia do Rock sobem ao palco do Hard Rock Café

Fazer um show no palco do Hard Rock Café é o sonho de muitas bandas. Para os alunos da Academia do Rock de Curitiba, unidade Batel e Juvevê, esse sonho foi realizado e em grande estilo. Durante a 14ª. edição do Rock Hour (festival de bandas da escola), 77 alunos divididos em 34 bandas, subiram ao palco do restaurante e juntaram mais de 650 pessoas na plateia.

Com um público 60% maior que nas últimas edições o Rock Hour se consagrou no último final de semana. “A estrutura do Hard Rock Café encanta quem curte rock e por isso a sinergia entre os alunos e o local foi instantânea”, enaltece Marcelo Freitas, diretor da Academia do Rock. As bandas ainda tiveram um dia de rock star, com direito a camarim exclusivo, alimentos, bebidas no “function room” do Hard Rock Café. Área também destinada para concentração, afinação e aquecimento vocal.

O evento foi transmitido simultaneamente no telão de LED atrás do palco e em todas as telas do restaurante. “Pela primeira vez estreamos a câmera “Rockstar” que divertiu o público ao se verem no telão”, comenta Marcelo.

“É normal ficar nervoso antes de se apresentar. Mas procuramos tranquilizar os alunos para que ele perceba que se chegou até lá, é porque está preparado e esse é o seu momento, essa é a sua hora! Passou pelas aulas individuais entre seis meses a um ano e outros dois meses de ensaio com banda para então debutar nos palcos do hard rock.  A ideia é que quando o aluno descer do palco vai lembrar que mostrou pra todo mundo o que ele é capaz de fazer e descobrir que ainda tem tanto potencial dentro de si que ainda não explorou e por isso escolhe aprender mais e melhorar”, explica Marcelo.

A Academia do Rock pretende levar outros eventos para o Hard Rock Café. “A ideia é levar as bandas kids (até doze anos) para o café e as bandas de adolescente e adultos para o third floordo Hard Rock em outubro e dezembro deste ano”, avalia.

A Academia do Rock possui duas sedes em Curitiba. Uma localizada na Rua Almirante Tamandaré, 1689 no Bairro Juvevê, e a outra unidade no Bairro do Batel, na Av. Visconde de Guarapuava, 5532.

 Crédito das imagens: Denis Ferreira Netto