Categorias
Musica

Artistas se apresentam online na “sala” da Casa Natura Musical

A orientação da OMS é clara: quem puder, deve permanecer em casa até segunda ordem. Estamos vivendo a maior crise contemporânea da humanidade e ninguém tem todas as respostas. Neste momento, temos uma meta importante. Nos unir para barrar o contágio é essencial, mas também precisamos nos manter juntos, mesmo que distantes fisicamente. Por isso, a partir de sexta-feira, 27/3, a Casa Natura Musical passa a realizar apresentações online em seu perfil no Instagram.

Em momentos de incerteza, é a música que nos faz sonhar, traz novas conexões e promove transformações. Continuaremos a nos encontrar na música, mas em um novo formato. Batizada como Sala da Casa, a série terá shows de aproximadamente 20 minutos e será transmitida ao vivo de sexta a domingo, sempre às 19h. A única exceção será a participação do músico China no dia 29/3, que fará a leitura de seu livro infantil Carlos Viaja às 15h. A curadoria do projeto foca em nomes ascendentes e relevantes da música brasileira e seu formato propõe performances intimistas e acolhedoras, como se os artistas estivessem de fato recebendo seu público na sala de casa.

A programação reúne artistas de diferentes partes do país e mistura sons mais pop como Tuyo, Romero Ferro, Davi Sabbag (ex-banda Uó), Lamparina e a Primavera e Marina Sena (Rosa Neon), o melhor da música paraense com Felipe Cordeiro e Aíla, nomes fortes do rock contemporâneo como Gustavo Bertoni (Scalene) e Ale Sater (Terno Rei) e artistas de destaque da cena independente como The Baggios, Papisa, YMA, ÀIYÉ (novo projeto de Larissa Conforto), Maria Beraldo e Josyara. Nas próximas semanas também participam do projeto Marina Sena (banda Rosa Neon), Davi Sabbag e Edgar.

Josyara é quem abre as portas da Sala da Casa, com show na sexta-feira, 27/3, mesmo dia em que lança seu novo disco,Estreite, em parceria com o músico Giovani Cidreira. A agenda dos dois próximos finais de semana já está definida e segue com a apresentação do The Baggios no dia 28 e com a contação de história do China no dia 29. A banda Tuyo se apresenta na sexta-feira, 3/4, a cantora Aíla toca dia 4 e Gustavo Bertoni fecha o fim de semana no dia 5. Sempre às 19h (com exceção do dia 29/3, como mencionado acima). Na semana seguinte, Mariana Sena, da banda Rosa Neon, se apresenta na sexta-feira, dia 10/4. Davi Sabbag faz show no dia 11/4 e Edgar encerra a semana no domingo, dia 12/4. O restante da programação será divulgado semana a semana e contemplará todo o período de quarentena.

Cronograma do Sala da Casa
27/3, sexta-feira 19h: Josyara
28/3, sábado, 19h: The Baggios
29/3, domingo, 15h: (*Programação Infantil): China narra as aventuras de seu livro Carlos Viaja
3/4, sexta-feira, 19h: Tuyo
4/4, sábado, 19h: Aíla
5/4, domingo, 19h: Gustavo Bertoni (Scalene)
10/4, sexta-feira: Marina Sena (Rosa Neon)
11/4, sábado: Davi Sabbag
12/4, domingo: Edgar

Casa Natura Musical
Inaugurada em maio de 2017, a Casa Natura Musical foi planejada pela artista Vanessa da Mata e os empresários Edgard Radesca (Bourbon Street Music Club) e Paulinho Rosa (Canto da Ema). O patrocínio é da Natura, empresa que há 15 anos destaca-se pela atuação na valorização da produção contemporânea e da identidade musical brasileira por meio da plataforma Natura Musical. Por meio de uma programação pulsante, diversa e inclusiva, a Casa celebra a pluralidade da música brasileira e dá voz a diferentes ritmos, movimentos e artistas dos quatro cantos do país. Mais que uma casa de shows, a Casa Natura Musical é um equipamento cultural que propõe discussões e convida seu público a refletir sobre os mais diversos assuntos da atualidade, através de eventos com temáticas especiais, shows voltados para a rua, exibições de documentários, mostras de arte digital e de seus canais de comunicação.

Categorias
Musica

Fernanda Takai em versão ao vivo de “Bonita”

Em julho de 2019, Fernanda Takai foi ao Rio de Janeiro gravar a versão ao vivo do seu álbum “O Tom da Takai”. A faixa de abertura da apresentação intimista,“Bonita”, também é o primeiro single do DVD.

Interpretada por Fernanda e com arranjos à moda clássica da bossa nova, “Bonita” conta com um piano marcante, bateria sutil e delicada linha de baixo e violão. Dentre os instrumentistas que acompanham a vocalista do Pato Fu, destaca-se a luxuosa participação de Roberto Menescal (guitarra) e Marcos Valle (piano e teclados). A dupla, inclusive, tem longo envolvimento com o projeto, tendo produzido a versão de estúdio do álbum. E aos dois soma-se Caio Plinio (bateria), Diego Mancini (baixo), Thiago Delegado (violão) e Fernando Merlino (teclado).

Escrita por Tom Jobim, a canção teve letras em inglês criadas por Ray Gilbert e Gene Lees.

Dando ainda mais charme ao registro, as gravações ocorreram em um hotel boutique com espetacular vista para o mar.

Além de estar presente nos aplicativos de música, “Bonita” pode ser assistida no YouTube. O DVD “O Tom da Takai Ao Vivo” está nas plataformas digitais e em formato físico nas lojas.

 

Fonte: DECK

Categorias
Geral Musica

Larissa Manoela lança remix de “Hoje a Noite é Nossa”

Hoje a Noite é Nossa” é o primeiro single do mais recente álbum de Larissa Manoela, “Além do Tempo” (Deck). Produzida por Arnaldo Saccomani, a música traz batidas eletrônicas capazes de embalar as pistas de dança de todo o Brasil. Agora, com o remix de RQnzt, a presença nas mixtapes das baladas será ainda maior.

Formado em produção musical pela Academia Internacional de Música Eletrônica, RQnzt reforçou o brazilian bass da faixa (uma das influências declaradas de Larissa para a track foi o DJ Alok) e acelerou o andamento, se aproximando do tempo do techno. Os fortes graves também ganharam um drop marcante e os vocais foram modificados ao estilo future house.

“Hoje a Noite é Nossa (RQnzt Remix)” está disponível nos aplicativos de música.
Categorias
Cultura Geral Musica

Projeto Orquestra no Parque com o show “Colgate Clássicos – Toca Raul”

Ministério da Cidadania e Colgate apresentam o projeto Orquestra no Parque, com o show “Colgate Clássicos – Toca Raul“, no dia 26 de janeiro, domingo, às 17h. A apresentação inédita faz uma homenagem ao cantor e compositor Raul Seixas, falecido 30 anos atrás, com a Orquestra Arte Viva, com regência do maestro Amilson Godoy, convidando ao palco os artistas Frejat e Luiza Possi. O show é gratuito e acontece na plateia externa do Auditório Ibirapuera, no Parque Ibirapuera, e integra a programação oficial da Secretaria Municipal de Cultura, que traz mais de 300 atividades em 150 pontos da cidade para a celebração do aniversário de 466 anos de São Paulo. 

O espetáculo aberto ao público traz a mistura do popular e do erudito recheado de clássicos de Raul Seixas como Metamorfose ambulante, Sociedade alternativa Maluco beleza, entre outros sucessos. A OrquestraSinfônica Arte Viva, criada em 1996 pelo maestro Amilson Godoy -que já tocou com grandes nomes da música brasileira como Milton Nascimento, Gilberto Gil e Gal Costa-, convida para o espetáculo o roqueiro, cantor e compositor Frejat, e a cantora e compositora Luiza Possi

Em 2017, no mesmo local, o projeto Colgate Clássicos apresentou a cantora Sandy como convidada do maestro João Carlos Martins regendo a Orquestra Bachiana Filarmônica para uma homenagem aos 90 anos do cantor e compositor Tom Jobim. Já em 2018, foi a vez da cantora pop Iza dividir o palco com o maestro João Carlos Martins e o sambista Diogo Nogueira para um show embalado por sucessos do samba, também no Auditório do Parque Ibirapuera. 

Frejat 

Guitarrista, compositor e cantor, Frejat é autor de clássicos como “Bete Balanço”, “Pro Dia Nascer Feliz”, “Segredos” e muitos outros. Iniciou sua carreira aos 19 anos como integrante do Barão Vermelho, ao lado de Mauricio Barros, Dé Palmeira, Guto Goffi e Cazuza, um de seus principais parceiros. Em 1985, o artista carioca assumiu o papel de intérprete da banda, com a qual seguiu colecionando sucessos. Em 2001, iniciou sua carreira solo com o álbum que conquistaria disco de ouro, “Amor Pra Recomeçar”, e em 2017 estreou a turnê “Tudo se Transforma” com um grande show no Rock in Rio. 

Orquestra Sinfônica Arte Viva 

A Orquestra Sinfônica Arte Viva, criada em 1996 pelo Maestro Amilson Godoy, tem como objetivo dar um tratamento mais elaborado à música popular, com o intuito de formar um público mais exigente. “Quando falamos de uma Orquestra Sinfônica temos o hábito de relacionar esta manifestação musical à música clássica. O requinte musical, com raras exceções, privilégio da música erudita, deve estar presente também na música popular”, define o maestro, resumindo o conceito pilar da criação de sua orquestra. 

A Orquestra Sinfônica Arte Viva transita entre estes dois gêneros musicais e já se apresentou com os mais representativos músicos do Brasil e do exterior. Entre os quais: Arthur Moreira Lima, Yamandu Costa, Milton Nascimento, Ivan Lins, Zimbo Trio, Elba Ramalho, Dominguinhos, Maria Rita, Lulu Santos, Rita Lee, Skank, JotaQuest, Gilberto Gil, Gal Costa, Daniela Mercury, Zélia Duncan, Stanley Jordan e George Benson e John Pizzarelli. 

Luiza Possi 

Destaque entre os cantores de sua geração, Luiza Possi traz o talento em seu DNA. Luiza é uma artista versátil. Dona de uma voz apurada, passeia por ritmos que vão do pop ao jazz. Coleciona uma série de prêmios, como oMultishow de Música Brasileira (2003) e o Tim (2006). Recentemente lançou seu nono álbum. O EP que leva o nome de Você Sorriu pra Mim possui música de autoria própria e participações. Com mais de 15 anos de carreira, seis álbuns lançados, a cantora acumula sucessos como Dias Assim, Tudo que há de bom, A vida é mesmo agora: ao vivo.

Serviço 

O que é: Orquestra no Parque – Colgate Clássicos – Toca Raul, com Orquestra Arte Viva, regência de AmilsonGodoy, Frejat e Luiza Possi. 

Data: 26 de janeiro de 2020, domingo 

Local: plateia externa do Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer – Parque Ibirapuera 

Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n – Portão 2 do Parque Ibirapuera 

(Entrada para carros pelo Portão 3) 

Horário: 17h00 

Duração: 2h 

Entrada gratuita 

Classificação indicativa: Livre 

Interpretação simultânea em Libras 

Transmissão ao vivo pela web 

Acesso a pessoas com deficiência 

Estacionamentos / Transporte: 

Estacionamento do Parque Ibirapuera, sistema Zona Azul. 

Categorias
Geral Musica

Emanuelle Araújo lança single “Hotel das Estrelas”

Emanuelle Araújo lançou seu mais novo trabalho musical: o single “Hotel das Estrelas”. A canção faz parte do novo álbum da cantora, “Quero Viver Sem Grilo”, da gravadora Deck. O projeto é uma homenagem ao artista Jards Macalé, sendo composto somente por suas músicas.

Jards Macalé é um grande compositor, suas letras são muito potentes e necessárias no nosso momento atual. Escolhi ‘Hotel das Estrelas’ porque é uma música que eu adoro. É uma canção profunda e tocante. Quero reverenciar a obra do Jards. Este projeto é muito especial para mim e um desejo antigo”, conta Emanuelle.

A música foi gravada em um estúdio em Nova York, no Brooklyn, durante uma temporada que a cantora passou na cidade. O músico e guitarrista Guilherme Monteiro, radicado nos Estados Unidos, divide a produção musical do novo trabalho com Emanuelle e é também responsável pelos violões e guitarras do álbum.

“Hotel das Estrelas” ainda conta com a colaboração dos músicos Ben Zwerin (baixo) e Bill Dobrow (bateria), além da mixagem de Kassin. A novidade está disponível em todos os aplicativos de música.

Categorias
Musica

Júlia Galamba lança projeto acústico “Microfonado”

A cantora e compositora Júlia Galamba lançou nesta quinta-feira (24), em todas as plataformas digitais e no canal do YouTube do Midas Music, seu projeto do “Microfonado”, gravado em agosto, nos estúdios da gravadora, em São Paulo. O projeto totalmente acústico vem desplugado dos cabos, amplificadores, altos-falantes e fones de ouvido, com a intenção de dar uma sensação de imersão para o público, ao ouvir, se sentir dentro do estúdio com a artista.

Fazem parte do repertório a música já conhecida “Me Faz Melhor”, agora com uma nova roupagem, e as inéditas “Sou Assim” e “Outra vez”. Todas são  de autorias da própria artista, que se orgulha do resultado. 

“As duas inéditas foram pensadas especialmente para o Microfonado” e não tem outra roupagem. Quando compus, elas caíram certinho com a proposta do projeto e logo me convidaram para participar”, diz Júlia. 

“As coisas estão acontecendo e o Rick Bonadio me deu essa oportunidade de participar do ‘Microfonado e fiquei muito feliz, porque é uma forma de divulgar meu trabalho. A cada dia ao lado dele, aprendo mais. Acho que todos que estão rodeados por ele aprende muito”, conclui Júlia. 

Como grandes inspirações, a cantora têm Kell Smith e Vitor Kley, que fazem parte do Midas. Assim como no estilo musical e na letra, Júlia Galamba preza também em passar em suas músicas, mensagens e histórias que podem refletir, além de falar de toda a forma de amor. 

 


 

 


Sobre

Natural de Jundiaí, em São Paulo, com apenas 17 anos, Júlia Galamba já nasceu com a veia musical. A paixão só aumentou e foi evoluindo na infância, mais precisamente, em Belém (PA), onde cresceu com uma forte diversidade cultural. Aos 9 anos, seu pai ensinou o primeiro acorde no violão e logo Júlia passou a se dedicar também a composição, como meio de expressar seus sentimentos. O primeiro clipe audiovisual, da música “Me Faz Melhor”, acumula quase 68 mil de visualizações no YouTube. 

 

Categorias
Destaque Musica

Gaybriel anuncia clipe para a dançante “Falta de Taka”

Senta, dá play e deixa o corpo rebolar. O cantor maranhense Gaybriel se prepara para o lançamento do clipe de “Falta de Taka”. A música, lançada nas plataformas de streaming em setembro, ganha registro audiovisual coroando a ótima fase na carreira do cantor. Terceiro single autoral do artista, “Falta de Taka” coroa mais uma faixa de destaque do cantor, que vêm ganhando amplitude tanto no Maranhão quanto em outros estados, como São Paulo.

Cada vez mais no hype, o artista mostra sua vertente regional na faixa e explica o significado de “taka”, expressão utilizada no meio LGBTQIA+. “Esse trabalho carrega uma parte bem mais honesta sobre mim do que os outros trabalhos, fala de vivência e a necessidade de se sentir livre e mostrar pras pessoas que ninguém manda em mim. A música é libertadora e eu não esperava ser tão abraçado com a música. A composição vem de uma reposta a todos aqueles que ainda tem um pensamento arcaico sobre ser ‘gay’ associar que o individuo é LGBT porque faltou ‘taka’ faltou porrada, faltou ser castigado pelo seu comportamento. ‘Isso é falta de taka’ é uma expressão bem famosa de onde eu venho que até então nem sabia que era uma expressão regional de fato qualifica como “falta de surra, porrada”, enfim… É muito falado pelos mais velhos associando que aquele comportamento inadequado só existe porque a criança não foi corrigida com uns bons tapas antes. Mas quem não levou uns bons tapas de seus pais por alguma danação, não é mesmo?”, explica Gaybriel.

Foto: Divulgação

Dando voz e imagem aos seus trabalhos, Gaybriel é um artista completo. Envolvido desde a concepção de uma nova faixa até a direção de seus clipes, o cantor comenta sobre os pensamentos de seus trabalhos. “Eu escrevo uma música já pensando no videoclipe. Eu sou fotografo há 8 anos e sempre estou estudando novas estéticas, buscando referencias visuais, e deixando meu trabalho a minha cara e bem divertido. Estar em todas as áreas do meu trabalho desde escrever a música, pintar meu cabelo e carregar a sacola no sol de meio dia faz eu ser o artista que eu sou”.

Artista visual, Gaybriel fala sobre o pensamento da valorização da cultura regional. Nascido em São Luís, no Maranhão, fala sobre o fato de o brasileiro, em grande parte, ser “ensinado” a consumir um estilo de vida dos Estados Unidos. “Para mim falar sobre a minha essência é muito importante. Como artista e pessoa cresci consumindo o patriotismo americano e consumindo e alimentando um sonho de estar lá e não valorizava o que estava em minhas mãos. Minha cultura é super rica e sou apaixonado pelas expressões e pela arte que vive em minha cidade e isso hoje em dia é algo que carrego comigo como inspiração. Quando eu percebo estando fora da minha cidade que algumas palavras que eu falo as pessoas não entendem eu me sinto especial e brinco com isso sempre nas minhas composições. O Maranhão é tudo”, revela o artista.

Foto: Divulgação

Como grande parte dos jovens gays no Brasil, Gaybriel iniciou seu processo criativo após sofrer bullying na escola. Seu nome de trabalho, inclusive, surgiu como uma forma de levar ofensas a outro nível, a ponto de superá-las mostrando o quão acima estava. “’Gaybriel’ era como os meninos da escola me chamavam para fazer bullying comigo. Fui uma criança muito ‘viada’. Cresci fazendo teatro e as pessoas apontavam para mim dizendo que o que eu fazia não era ‘coisa de homem’. Foi um grande caminho até aqui, mas eu decidi carregar esse nome pra cada dia ter mais coragem de enfrentar a sociedade sendo quem sou, mas esse é o só o começo”, desabafa Gaybriel.

O clipe de “Falta de Taka” estará disponível no canal do artista no YouTube nesta quarta-feira, dia 23.

Sobre Gaybriel:

Aos 24 anos, Gaybriel começou a se entender enquanto artista aos 11 anos, quando se deparou com um dos projetos musicais mais icônicos da história, a “The Confessions Tour”, da Madonna. A partir daí, se entendendo enquanto criador, começou a escrever faixas em inglês.

Irmão do cantor Yhago Sebaz, Gaybriel tem uma relação muito íntima com a música. Fotógrafo de carreira e formado em Publicidade e Propaganda, o artista mostra que em sua veia pulsa sentimento, todos canalizados para a criação de seu trabalho autoral.

Com influências musicais que vão desde Madonna a Cacuriá de Dona Teté, um ritmo bastante regional do Maranhão, Gaybriel faz uma mescla transformando música em arte e arte em música, tendo como grande diferencial sua assinatura visual. O artista assina todos os clipes de sua carreira e mostra que as diferentes vertentes de seu trabalho podem mostrar algo muito rico em relação às suas raízes.

Categorias
Destaque Musica

Cesinha e Matheus lançam “Prova do Crime”

Cesinha e Matheus lançaram, no canal oficial do YouTube, a música “Prova do crime”. A faixa autoral faz parte do trabalho “Sofreu bebeu”, disponibilizado por completo na última sexta-feira, em todas as plataformas digitais. Das composições para os palcos, a dupla chega ao mercado sertanejo como uma grande aposta, agora também como intérpretes.

Hoje eles, que nasceram em Presidente Prudente, interior de São Paulo, residem em Maringá/PR e se dedicam por completo a atual fase da carreira.

Cantar sempre foi um sonho pra gente, a música está muito viva nos nossos dias, por isto, este trabalho é uma grande realização, tanto pra mim quanto pro Cesinha”, conta Matheus, primeira voz da dupla.

As composições de Cesinha e Matheus deram a eles destaque no mercado sertanejo, artistas como Fernando e Sorocaba, Matheus e Kauan, Thaeme e Thiago e Pedro Paulo e Alex já interpretaram suas obras. Agora é a vez dos meninos mostrarem quem são ao público e espalhar, além das letras, suas vozes marcantes.

O trabalho “Sofreu bebeu” teve direção de vídeo de Jacques Junior, produção musical de Felipe Arná, produção geral Ângelo Lima e direção geral de Foguinho MS.

Escolhemos ter ao nosso lado um time envolvido, que estivesse na mesma vibe que a gente, o resultado foi bem legal”, completa Cesinha.

Confira o clipe de “Prova do crime”:

Categorias
Destaque Musica slide

Aldebaran Jr lança “Mandela”

O cantor Aldebaran Jr lança hoje, sexta-feira (23), o novo single e videoclipe de trabalho “Mandela”. A faixa marca o início de uma promissora parceria com o selo EPrata Music e distribuição da Sony Music.

“Mandela” é uma autoria de Karytas Miguel e Bya Marque, produzida por Tiago Carvalho e traz a direção de vídeo de Rafael Terra. A canção integra o repertório do álbum “Uma Nova História”, gravado ao vivo em Goiânia/GO.

O conteúdo encontra-se disponível em todas as plataformas digitais e YouTube.

Assista no YouTube:

Sobre o artista:

Aldebaran Jr é natural de Foz do Iguaçu/PR e radicado em Goiânia/GO. Ainda na infância já dava os primeiros passos na música, autodidata aos nove começou a compor e a tocar violão. Seus maiores incentivadores foram seu padrinho e seu pai, herdando a veia artística iniciou sua caminhada no mundo musical apresentando-se em bares, restaurantes, bandas bailes, e como dupla sertaneja no estado de Minas Gerais.

Atualmente, com mais de 23 anos de estrada, o artista gravou seu primeiro DVD, intitulado “Uma Nova História”. O projeto foi captado em Goiânia e trouxe as participações de nomes conhecidos do mercado sertanejo, como Rafa Vanucci na direção artística, produção musical de Tiago Carvalho, direção de vídeo de Rafael Terra e o selo EPrata Music em parceria com Sony Music e VEVO para distribuir o conteúdo.

Categorias
Destaque Musica

Thiago Varella lança single e clipe: “Vejo Mais”

Com uma pegada sublime, Thiago Varella é amor. Aos 25 anos, o baiano radicado no Rio de Janeiro lança nesta quinta-feira (11) seu segundo single, “Vejo Mais”, que chega acompanhado de clipe dedicado. O vídeo mostra Thiago em clima de descontração, ambientado por um casal de bailarinos ao fundo.

Thiago Varella. Foto: Divulgação
Thiago Varella. Foto: Divulgação

Com tom praiano, Thiago revela um trabalho que há muito tempo vem sendo pensado. Compondo desde os doze anos de idade, o artista usou o tempo à seu favor para amadurecer e se reconhecer enquanto ser humano. “Eu canto desde os oito anos e componho desde os doze. Minhas músicas são motivadas pelos meus sentimentos, histórias e dores. Na verdade, a música é a forma como eu uso para contar minhas histórias”, revela o artista.

Morador de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, Thiago revela que o trabalho por trás de “Vejo Mais” está no pensamento do descanso e da tranquilidade. Com melodia calma, o clipe faz reunir os amigos na praia. “A ideia do clipe é construir uma atmosfera de descanso e tranquilidade, reunindo os amigos para aproveitar um dia na praia, algo que todos os cariocas acabam fazendo vez ou outra”.

Thiago Varella. Foto: Divulgação
Thiago Varella. Foto: Divulgação

Apostando na simplicidade, o conceito do vídeo é enaltecer a beleza em situações que, normalmente, passam despercebidas mediante à correria do dia a dia. “A ideia é mostrar que na simplicidade vemos e vivemos coisas incríveis. Vejo mais é uma canção que fala do futuro, de superar tempestades e acreditar na vida, na alegria, tendo forças pra seguir em frente”, desabafa o cantor.

Sobre a ideia de trazer bailarinos para o clipe, Thiago comenta que sempre teve uma relação de intimidade com a dança, e que foi uma maneira de externalizar esse sentimento. “Eu sempre tive uma ligação com a dança, e eu acredito que a dança traz o concreto da música. O sentimento é abstrato, a gente sente, se comove, mas não vê. A dança permite enxergar a essência concreta da canção. O movimento o toque , trazem realismo e mais doce e sensível que eu quiz passar com essa música”, finaliza o artista.

Veja o clipe de “Vejo Mais”: